sexta-feira, 21 de junho de 2013

Produção de borracha em Jutaí será elevada após entrega de kit’s sangria

Kit’s foram entregues a 142 famílias de seringueiros

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), entregou no dia 18, para famílias de seringueiros do município de Jutaí, 142 kit’s sangria.  A ação faz parte do Programa Amazonas Rural e está inserida dentro do projeto de Revitalização da Borracha no Amazonas que prevê a entrega de 2.000 kits para atender o Estado, neste ano.
Um dos objetivos é impulsionar  a produção de borracha no município e potencializar o trabalho das famílias que atuam na extração do látex.  De acordo com o Secretário de Produção Rural, Eron Bezerra, com a expansão da produção, o Estado terá condições de atender parte da demanda nacional. Até 2014 a meta é chegar em 5 mil toneladas anuais. “Temos que saltar três vezes mais do que produzimos, daí porque estamos investindo em tecnologia para, também, melhorar a qualidade de vida dos seringueiros. Só com trabalho poderemos alcançar essa meta, daí porque o investimento”, ressaltou Eron Bezerra.
A Secretária Execultiva da Sepror, Sônia Alfaia, que participou da entrega dos kit’s, destaca que algumas famílias inscritas no programa nunca trabalharam na extração da borracha, mas se interessaram em fazer parte do projeto a partir do investimento do Governo em tecnologia. ” Os kit’s substituem equipamentos prejudiciais à saúde que eram utilizados por essas famílias – como a poronga – por lanternas de led e a aplicação de cursos de capacitação sobre novas técnicas de corte da seringueira”, destaca.

Investimentos

Kit’s Sangria entregues as famílias de Jutaí
Já receberam os kits sangria os municípios de Santa Izabel do Rio Negro (95), Eirunepé (402) e Manicoré (226).
O investimento para aquisição dos kits sangria é de R$ 1,5 milhão e é realizado em parceria com o Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS). O Governo do Amazonas é responsável pela liberação de R$ 1 milhão e o CNS pelo restante do valor. O projeto é implementado com o apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam).
Para isso, a Sepror também trabalha para estimular o ingresso de novos seringueiros na cadeia produtiva e resgatar àqueles que já haviam abandonado essa atividade econômica. Dos 1.725 produtores de 18 municípios, a meta é chegar a 10 mil seringueiros de 28 municípios do interior do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário