quinta-feira, 11 de julho de 2013

1.045 famílias de seringueiros já foram beneficiadas com o kit sangria


O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), já beneficiou mais de 1.045 famílias de seringueiros no Amazonas com a entrega dos kits sangrias. Os primeiros seis municípios a receberem os kits foram Santa Izabel do Rio Negro (95), Eirunepé (402), Manicoré (226), Jutaí (142), Borba (86) e Boca do Acre (94). O investimento nesses primeiros seis meses foi de R$553.850,00.
A distribuição do kit sangria faz parte do Programa Amazonas Rural e está inserida dentro do projeto de Revitalização da Borracha no Amazonas que prevê a entrega de 2.000 kits para atender o Estado, neste ano.
Um dos objetivos é impulsionar a produção de borracha no município e potencializar o trabalho das famílias que atuam na extração do látex. De acordo com o Secretário de Produção Rural, Eron Bezerra, com a expansão da produção, o Estado terá condições de atender parte da demanda nacional. Até 2014 a meta é chegar a cinco mil toneladas anuais.
Os kits, segundo Eron, substituem equipamentos prejudiciais à saúde que eram utilizados por essas famílias – como a poronga – por lanternas de led. Um dos objetivos, segundo o secretário, é impulsionar a produção de borracha no Estado e potencializar o trabalho das famílias que atuam na extração do látex.
Lábrea será o próximo município a receber o kit sangria. Para o município serão destinados 296 kits, que somam um investimento de R$156.880,00.
Recursos – O investimento para aquisição dos kits é de R$ 1.679.040,00 e é realizado em parceria com o Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS). O Governo do Amazonas é responsável pela liberação de mais de R$ 1.526.400,00 e o CNS pelo restante do valor R$ 152.640,00. O projeto é implementado com o apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), responsável pelo cadastro de seringueiros nos municípios e pela capacitação em boas práticas na coleta do látex.
A previsão da Sepror é ampliar o convênio com o CNS para a aquisição de mais mil kits sangria, além dos dois mil que estão em execução.
Para isso, a Sepror também trabalha para estimular o ingresso de novos seringueiros na cadeia produtiva e resgatar àqueles que já haviam abandonado essa atividade econômica. Dos 1.725 produtores de 18 municípios, a meta é chegar a 10 mil seringueiros de 28 municípios do interior do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário