sábado, 23 de novembro de 2013

Confirmado: Amazonas ganhará Universidade Rural

A ideia é usar a estrutura da Seduc para levar cursos de nível superior aos estudantes que concluíram o ensino médio
Mais de 30 comunidades rurais em 13 municípios do Amazonas vão receber, até o segundo semestre de 2014, cursos de nível superior oferecidos pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). O objetivo é beneficiar principalmente estudantes que vivem em comunidades afastadas dos centros urbanos e não tem expectativa de cursar uma faculdade.Batizado de Universidade Rural, o novo sistema de graduação  terá cursos realizados com apoio da Secretaria de Educação do Amazonas (Seduc). A ideia é usar a estrutura técnica da Seduc, como computadores, parabólicas e salas de aula existentes em mais de 30 comunidades rurais para levar cursos de nível superior aos estudantes que concluíram o ensino médio.

Nas próximas semanas, o reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, junto com o deputado estadual Tony Medeiros, vão discutir os detalhes da implantação do projeto. Eles vão avaliar quais comunidades e agrovilas receberão os cursos de graduação, bem como o número de vagas em cada localidade.

Em junho do ano passado, o parlamentar sugeriu ao Governo do Estado a criação a Universidade Rural. A proposta foi encaminhada ao governador Omar Aziz, que determinou à UEA e à Seduc o estudo técnico para implantação da Universidade Rural.
 
Se tudo ocorrer com o planejado, o primeiro vestibular da Universidade Rural será realizado até junho de 2014, com aulas previstas para começar no segundo semestre do mesmo ano. “O projeto é muito importante para levarmos desenvolvimento ao interior do Amazonas, principalmente nas comunidades mais distantes”, afirmou o reitor Cleinaldo Costa.

Os cursos programados para inaugurar a Universidade Rural são Agroecologia, Produção Pesqueira e Produção de Alimentos. As disciplinas foram escolhidas pela UEA e Seduc porque se adaptam às necessidades da maioria das comunidades onde a Universidade Rural será implantada. Outros cursos serão oferecidos conforme o número de candidatos à graduação também aumente, informou o reitor.

“Queremos dar aos estudantes a chance de continuar morando e trabalhando no interior, gerando desenvolvimento a essas comunidades”, acrescentou o Cleinaldo Costa.

O deputado Tony Medeiros lembra que a ideia de criação da Universidade Rural surgiu após conversar com jovens nas comunidades e agrovilas do interior. “Eles (jovens) reclamam que após concluir o ensino médio não tinham expectativa de continuar os estudos”, lembrou Tony. “Se quiserem entrar numa faculdade, os jovens tem que deixar suas famílias e se mudar pra um centro urbano”, ressaltou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário