segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Crédito emergencial é liberado para agricultores afetados pela cheia no AM

Verba é destinada a agricultores familiares que perderam produção, 37 municípios decretaram emergência e dois estado de calamidade. Do G1 AM

 

Agricultores familiares atingidos pela cheia dos rios neste ano no Amazonas começaram a receber crédito emergencial da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) para a recuperação da produção afetada. Ao todo, agricultores de 34 cidades estão sendo beneficiados. As informações foram divulgadas na tarde deste domingo (7) pelo governo estadual. A enchente deste ano deixou 37 municípios em situação de emergência e dois em estado de calamidade pública.
De acordo com o governo, os repasses começaram no fim de agosto e o programa tem vigência até o final do ano. A previsão, segundo informou a Agência de Comunicação do Amazonas, é que até dezembro sete mil produtores sejam beneficiados pelo programa.
Segundo a Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror-AM), entre as plantações mais atingidas estão as de mandioca, banana, melancia, maxixe e abóbora.
A assessoria técnica para liberação do crédito é realizada com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado (Idam).

Conforme os dados divulgados, cerca de 2,2 mil produtores já enviaram propostas de financiamento. As operações de crédito em andamento somam R$ 8,9 milhões.
Ainda segundo o Governo, cada agricultor pode financiar até R$ 6 mil com taxas de juros subsidiadas pelo Governo do Amazonas. O dinheiro pode ser usado para compra de mudas, adubos, pagamento de mão de obra e para escoamento e armazenamento da produção. Para auxiliar os beneficiários, o Idam realizou oficinas de nivelamento com os produtores e auxiliou a elaboração dos projetos para investimento do dinheiro do crédito emergencial.

De acordo com dados da Defesa Civil do Amazonas, mais de 317 mil pessoas foram afetadas pelas inundações. Neste ano, as cidades começaram a enfrentar o problema em abril.


Nenhum comentário:

Postar um comentário