Estado já aplicou R$ 32,4 milhões na economia do interior em financiamentos voltados ao empreendedorismo

Mais de 5 mil empreendedores do interior do Estado já foram atendidos neste ano pelo Governo do Amazonas com financiamentos da AFEAM. Até outubro, o investimento no fomento da economia dos 61 municípios do interior amazonense, na maioria dos casos com o microcrédito, chega a R$ 32,4 milhões, aponta balanço da Agência de Fomento. Em Manaus, nesse mesmo período, os financiamentos, na sua maioria aos microempreendedores, totalizaram R$ 28,5 milhões.
Com a conclusão das ações itinerantes por calha de rio, a oferta de financiamentos a juros subsidiados, voltados à geração de emprego e renda, continua até 18 de dezembro nos municípios com posto fixo da AFEAM – em Eirunepé, Manacapuru, Manicoré, Itacoatiara e Tefé. A Instituição realizará ainda uma ação especial de liberação de crédito em Maués, na semana da Festa do Guaraná, no início de dezembro.

Dos R$ 32,4 milhões liberados no interior até o mês passado, R$ 13,3 milhões foram aplicados no setor primário. Junto aos produtores rurais, o trabalho é feito em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável (IDAM), órgão de assistência técnica da Secretaria de Produção Rural (Sepror). Nos demais setores, o atendimento é feito em parceria com o Sebrae, explica o presidente da AFEAM, Alex Del Giglio.
No ranking das atividades mais financiadas, estivas, artesanato, oficina de embarcações, confecção, pesca artesanal estão entre as mais demandadas, além da agricultura familiar. Neste ano, a AFEAM ampliou o atendimento exclusivo em distritos rurais, como Novo Remanso e Vila do Engenho, no município Itacoatiara; Caburi, Mocambo e Vila Amazônia, em Parintins; e Santo Antônio do Matupi, em Manicoré.
Para 2018, a Agência de Fomento ampliará o investimento no setor primário, como parte do esforço do Governo do Amazonas em desenvolver o interior do Estado. Cadeias produtivas serão priorizadas e o orçamento para o setor é de R$ 40 milhões. “Desse total, R$ 20 milhões são para projetos estruturantes, R$ 5 milhões para o fomento das feiras e exposições agropecuárias e o restante será destinado ao AFEAM Rural, com financiamento direto ao produtor rural”, ressalta o Diretor de Crédito da AFEAM, Jacques Douglas.
Investimento que melhora vidas
Em Manaus, a AFEAM injetou R$ 28,5 milhões no empreendedorismo, por intermédio de 3,7 mil operações de crédito. O destaque, nesses dez primeiros meses do ano, foram os setores comércial e de serviços, que demandaram R$ 21,3 milhões do total. Nesse caso, 3,1 mil empreendedores foram beneficiados.
O técnico em refrigeração Deusdete Antonio Lima está no terceiro financiamento. Ele conta que até conhecer a AFEAM, atendia apenas em domicílio, com serviços agendados por telefone. Foi com o primeiro microcrédito aprovado, de R$ 3 mil em 2013, que ele ampliou a atividade, alugando um espaço comercial no bairro Mauazinho, onde já atuava, para montar a oficina.
“Aqui eu conserto e reformo geladeira, condicionador de ar e freezer. Foi com os financiamentos da AFEAM que pude comprar material, montar a oficina e ampliar o atendimento. Hoje sou realizado e do meu trabalho sustento a minha família”, comemora.
Assim como Deusdete, a comerciante de confecções Eliana Maria Rodrigues também é cliente especial da Agência de Fomento. Ela está no décimo financiamento e na atual crise econômica, tem comprado mercadorias para revender com os recursos da AFEAM. “A AFEAM mudou a minha vida, e para melhor. Se não fosse a AFEAM, eu já teria fechado a empresa, atividade de onde tiro o meu sustento, além de ajudar nos estudos dos meus netos”, relata.
Eliana tem uma clientela fixa, entre 80 e 100 pessoas. Ela atende na própria residência, no bairro Coroado, mas em tempos da comunicação pela internet, também avalia divulgar o seu trabalho nas redes sociais. “Temo pela violência. É importante alcançar um público maior, sobretudo nesse momento de crise, onde as vendas caírem em mais da metade, mas é preciso fazer isso com segurança”.

Comentários